quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Mosaico

"Eu sou sozinha alguma coisa que, mesmo não sendo inteira, é completa. O ar se adapta a mim. Bem como as pessoas, as coisas. E eu me adapto a eles com certa facilidade, da mesma forma. Existe algum tipo de mecanismo o qual me permite estar à vontade em quase todas as situações do mundo, com todos os tipos de pessoas e seus pensamentos singulares. Eu gosto de conversar e de conviver com as diferenças. Gosto de respeitar e da automaticidade com que sou respeitada em retribuição. Me agrada o meu próprio lado universal, sempre adequado. É tão bom ser aceita e aceitar - desse jeito natural, tão simples... De quem sorri pra vida por saber que há algo especial em cada cantinho de mundo e de gente"



14 de agosto de 2011, 00h40 ~ casa de um amigo, Rio de Janeiro.

Nenhum comentário: