segunda-feira, 2 de maio de 2011

frio

deixa arder, pois que a arte repousa sobre a dor e nela desenha a flor mais bonita. grita com força que a música se faz doce no teu berro amargo. chora e deixa o pranto teu lavar as impurezas e desaguar com elas em mares distantes do teu oceano revolto - que então se acalma.

há algum tipo de beleza, por mais que rota e puída, em todo sofrimento. sofrer não é o preço que se paga pela arte. a arte é o remédio o qual preenche o vazio que a dor arrasta pra dentro do peito; é recompensa. e que grande injustiça haveria se os grandes artistas desse mundo fossem, além de artistas, felizes e completos.




(e que a melancolia desse frio que faz lá fora só se reflita aqui dentro se for gerar poesia, amém.)

Um comentário:

George Luis disse...

Isso é tão lindo e tão triste. Melancólico, por suposto, é claro. Como toca fundo na gente a sua arte. Ah, mas tomara que sejas feliz, mesmo sento artista.