domingo, 2 de agosto de 2009

changes


Num tempo onde sentir-se só era uma constante, mesmo quando repleta de companhias nem sempre dispensáveis ou insignificantes, ele apareceu. Entrou aos poucos na vida dela, chegando pelas beiradas, lentamente tomando espaço. Cresceu em seu peito como alguma planta pouco efêmera, sem pressa ou necessidade de fazer-se notar.

E de repente ele era uma árvore enorme. Ultrapassara impiedosamente as pequenas plantinhas, há tanto predominantes no jardim quase floresta que era o coração dela. Crescera sobre o solo infértil de outrora, firmando-se em raízes imponentes sem, no entanto, sufocar gramado algum. Afugentou a imensidão vazia de seus medos e traumas, tornando-se a sombra pincelada por raios de sol de que ela sempre precisou. Não cobriu seu céu. Tampouco seus horizontes de sonhos, como alguns fizeram. Crescera apenas o suficiente pra ser bonito e necessário. O bastante pra ser sentido sem que isso pudesse machucar.

No peito dela cabia qualquer semente. Sempre andara com o coração aberto, um coração não raro de fácil acesso. Era grande também. Mesmo quando apertado e dolorido, jamais via-se sem espaço pra mais alguma coisa semear - isso não era problema. A dor vinha depois.

Quando se invade a vida de alguém é preciso calma. Cautela pra adentrar espaços que não são seus, bem como respeito pra fixar-se em algum lugar e fazer dele sua segunda morada. Pois que os jardins de dentro são frágeis e facilmente destrutíveis. É preciso que aquele que dele cuida, o dono do jardim, saiba quais sementes regar e, indispensável, é preciso que as sementes saibam responder com graça. Quando os dois se acertam, a planta cresce. Na medida, forte, delicada. E faz o respirar muito mais fácil.

Quando ambos, planta e jardim, entram em perfeita sintonia, sem atropelos ou ofensas silenciosas, é que a gente chama a enorme árvore de amor.

3 comentários:

Lorena Weasley* disse...

Acabo de achar um forte concorrente para "A magia não tem fim"? É isso?

Essa foi uma das coisas mais lindas que já li na vida, e peço autorização para publicá-la no meu blog em breve, com os devidos créditos, claro.

George Luis disse...

O.O

Uau!

beatriz jorge disse...

realmente isa, foi uma das coisas mais lindas que já li. que texto forte, nossa!
que sonho que voce deve estar vivendo, linda! aposto que muito merecido! bjobjobjobjo